Uma fatia do Bolo da Ivone, farto em chocolate

Sabe quando bate aquela vontade de comer um bolo caseiro com bastante gosto de chocolate? Pois quando surge esse desejo, uma das melhores pedidas é o Bolo da Ivone. Bem simples, sem invenções desnecessárias, o bolo conquista facilmente os apaixonados por chocolate. Com um toque de...

Como usar bloco de concreto

Já pensou usar blocos de concreto na decoração da sua casa? Isso mesmo, na decoração. O mais legal é que você mesmo pode pegar um bloco de concreto e transformá-lo em um móvel super útil. O programa É de Casa, da Rede Globo, mostrou, recentemente, um...

Como foi o meu casamento – Karol e Pedro

Meu casamento foi realizado no dia 14 de janeiro de 2017 e eu lembro de cada detalhe da festa, dos momentos, do sorriso do meu marido, das palavras do meu irmão, do choro da minha mãe, da entrada ao lado do meu pai, das pessoas me falando “foi lindo”, dos abraços e desejos de felicidade.

 

Algumas coisas que eu decidi fazer já estavam enraizadas há muito tempo. A dinâmica da cerimônia já tinha sido decidida desde antes de eu ficar noiva: não seria na igreja (polêmicas à parte), seria celebrada pelo meu irmão e nada de marcha nupcial. A minha grande sorte: o noivo concordou e abraçou todas as minhas sugestões. Se não fosse isso, nada teria saído como saiu. Sim, eu queria desse jeito, mas se ele me dissesse que essa não era a vontade dele teríamos que chegar a um denominador comum. O casamento também era dele, ora essa.

 

O que eu achei da série Girlboss

Confesso que demorei a escrever algo sobre a série #Girlboss, da Netflix, justamente porque estava digerindo o conteúdo aqui na minha mente. Calma, eu sei que não é uma série complexa, mas eu li tanta coisa a respeito, que precisava processar as informações antes de realmente escrever algo a respeito.

Eu esperei muito por essa série – ok, eu e milhões de garotas -, e de cara me decepcionei. Nos primeiros episódios, fiquei um pouco chocada. Avisaram logo no início que a história de Sophia Amorouso havia sido adaptada…Mas eu não imaginava que seria tanto! Era MUITA coisa diferente, histórias que não batiam com as do livro.

Dicas simples de organização

Ainda estou tentando entender o porquê, mas depois de casar virei a doida da organização. Quando criança eu era a bagunceira da casa e tinha um agravante: meu irmão era o senhor organização. Então além de ouvir minha mãe sempre falando “arruma esse chiqueiro”, ainda tinha que escutar “olha como o quarto do seu irmão está arrumado, por que você não é assim também?”

Dona Edna tentou durante muitos anos que eu abandonasse a bagunça. Hoje eu tenho orgulho de dizer: Mãe, você conseguiu! Sim, depois de 30 anos e depois de eu sair de casa, mas conseguiu. Agora começou outra luta. Meu marido não é nada organizado. Vivo o conflito que minha mãe vivia e entendo o desgosto ao ouvir: depois eu arrumo. O “depois” me mata aos poucos toda vez que é falado.